Broncoscopia

broncoscopia-uti

O que é broncoscopia ou endoscopia respiratória?

A endoscopia respiratória, muito conhecida pelo nome “broncoscopia” é um exame que permite a visualização das vias aéreas (fossas nasais, nasofaringe, laringe, traquéia e brônquios) com auxílio de um instrumento chamado broncoscópio, auxiliando no diagnóstico preciso de eventuais alterações na anatomia e diversas doenças (tumores, infecções, estenoses, corpos estranhos e outras).

Dependendo da doença, a broncoscopia permite a realização de biópsias do pulmão (biópsia transbrônquica ou endobrônquica) e coleta de secreção (lavado broncoalveolar ou brônquico) que são enviados para análise laboratorial.

O exame é sempre realizado por um médico especialista auxiliado por uma equipe de enfermagem. Alguns casos podem necessitar de anestesia geral que será realizada pelo médico anestesista.

si_1983

Quando a broncoscopia esta indicada?

Existem diversos motivos para que um paciente seja submetido à broncoscopia.

Estão listados abaixo a maioria das indicações tanto para pacientes ambulatorias quanto para pacientes que estão internados.

Inspeção das vias aéreas

1. – Tosse persistente apesar de tratamento adequado
2. – Hemoptise (sangramentos) tosse com sangue, escarro com sangue
3. – Atelectasia persistente
4. – Falta de ar persistente
5. – Estridor laríngeo (respiração ruidosa)
6. – Rouquidão
7. – Suspeita de comunicações patológicas entre a via respiratória e a via digestiva    (fístula traqueo-esofágica)
8. – Trauma de tórax
9. – Suspeita de aspiração de corpo estranho

Avaliação funcional da laringe

1. – Pesquisa de problemas na movimentação das pregas vocais
2. – Teste de deglutição e pesquisa de aspiração
3. – Ronco e apnéia do sono

Coleta de material (biópsia e lavado broncoalveolar)

1. – Tumores (Nódulos ou massas no pulmão)
2. – Doença intersticial pulmonar
3. – Avaliação de pacientes com transplante pulmonar
4. – Pneumonia recorrente
5. – Pneumonia hospitalar
6. – Pneumonia em pacientes com baixa imunidade

Unidade de terapia intensiva

1. – Auxílio à intubação
2. – Posicionamento de cânula de traqueostomia ou orotraqueal
3. – Pneumonia em pacientes intubados
4. – Auxílio a traqueostomia
5. – Avaliação de pacientes que sofreram queimaduras
6. – Extubação  (via aérea difícil / reintubação recorrente)

Terapêuticas

1. – Aplicação de laser e eletrocautério
2. – Drenagem de abscessos
4. – Dilatação de estenoses
5. – Remoção de corpos estranhos
6. – Tratamento de sangramentos
7. – Fístulas
8. – Aplicação de órteses
9. – Higienização
10. – Remoção de rolhas de secreção

O que posso fazer depois do exame?

O ideal é que o paciente permaneça em repouso relativo por 24 horas, ou seja, não deve realizar esportes, esforços físicos intensos, nem realizar atividades que necessitem de raciocínio e atenção como dirigir automóvel. Isto porque as complicações principais da broncoscopia – sangramento, pneumotórax (perfuração do pulmão) e febre podem ocorrer neste período. Além disso, o paciente receberá medicamentos sedativos que causarão sonolência e desatenção nas horas seguintes ao exame. Por estes motivos, a presença de uma acompanhante maior de 21 anos é necessária

Como se preparar para a broncoscopia?

É obrigatório jejum de 8 horas. Em alguns casos específicos o jejum poderá ser menor. O médico explicará as possíveis complicações e o paciente precisa assinar um consentimento para a broncoscopia. Isto é necessário pois todo o procedimento tem riscos e pode apresentar complicações.

A presença de um acompanhante com mais de 21 anos é obrigatória. O paciente receberá sedativos e não poderá dirigir, trabalhar , nem realizar esforços físicos após o exame.

Levar as radiografias, tomografias e todos os exames mais recentes.

Levar uma lista com todas as medições que o paciente utiliza. Alguns remédios aumentam o risco de sangramento – anticoagulantes – clopidrogel (Plavix), varfarina (Marevan) precisam ser suspensos antes do exame.
Relatar alergia a quaisquer medicações, incluindo anestésicos.

Avisar se está ou pode estar grávida.

Em alguns casos, o médico pode necessitar de exames antes da broncoscopia, como hemograma completo, exames para coagulação, gasometria e testes de função pulmonar

A broncoscopia precisa de anestesia geral?

Alguns pacientes precisarão de anestesia geral realizada pelo médico anestesista. Na maioria dos casos, o paciente receberá sedação endovenosa e anestesia tópica com lidocaína líquida no nariz, boca e vias aéreas inferiores para evitar dor e tosse.

Serão utilizados sedativos leves. Para administração destes medicamentos será necessário realizar uma punção venosa.

Existem inúmeras medicações, mas as mais utilizadas na sedação são: midazolan e fentanila.

A sedação é bastante segura e permite a realização do exame sem dor e com desconforto mínimo

A broncoscopia é um exame perigoso?

Não. Broncoscopia é um procedimento seguro e eficaz quando bem indicado e realizado por médico especialista, no entanto, nenhum procedimento esta livre de complicações. As principais complicações durante a broncoscopia são raras e incluem:

- crise de broncoespasmo
– sangramentos após a biópsia (hemoptise)
– perfuração da pleura visceral após a biópsia (pneumotórax)

Nestes casos, o paciente poderá ficar internado.

Após a broncoscopia, durante as primeiras 24 horas, pode ocorrer escarro com vestígios de sangue e febre.

O paciente que realizar o exame, deverá permanecer em repouso relativo nas primeiras 24 horas e obrigatoriamente retornará ao hospital se:

- Tossir sangue vivo de forma persistente (mais de 1 colher de sopa)
– Apresentar dor no peito ou dificuldade respiratória
– A febre persistir por mais de 24 horas.

O resultado do exame é imediato?

O laudo da broncoscopia é realizado logo após o exame. Nele constarão os procedimentos realizados e as alterações observadas.

O material coletado é enviado para o laboratório para realização de cultura geral, citologia oncótica, anatomia patológica e o resultado geralmente é liberado em 7 dias. No entanto, existem diversos exames e pesquisas que podem demorar até 60 dias para que sejam finalizados.

FONTE: Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia

Acessado em: http://www.sbpt.org.br/?op=paginas&tipo=pagina&secao=233&pagina=1222